quarta-feira, 17 de novembro de 2010

1957/Alex Miteff

No mês que o nosso galinho,não o de Quintino ,bairro carioca ,mas o galinho da Casa Verde,bairro paulista comemora 50 anos da conquista de seu primeiro titulo mundial de boxe na categoria “Galo” em uma luta memorável ( 18/11/1960 )que durou seis rounds contra Eloy Sanches,lembro-me de um episódio que vivi em New York, quando lá morei nos anos 50.
O protagonista chamava-se Alex Miteff, boxeador peso pesado , argentino filho de um imigrante búlgaro plantador de milho e uma costureira argentina.
Conheci Miteff em meu apartamento levado por um amigo uruguaio, o Juan,aspirante a lutador de boxe ,que não teve a mesma sorte que o meu personagem.
Miteff foi medalha de ouro nos Jogos Panamericanos de 1955 no Mexico e ocupava o sétimo lugar no ranking mundial dos pesos pesados em 57.Como amador tinha um curriculum impressionante. Em 140 lutas disputadas havia ganho 126 .
Como profissional havia ganho as 12 lutas que havia disputado. Tinha uma carreira promissora.
Típico argentino. Vistoso,gomalina nos cabelos,vestia-se muito bem e chamava a atenção do público feminino. Tinha também aspirações á carreira de ator. No fundo se achava um galã.
Em 18 de Outubro de 1957, Miteff lutaria com Mike De John ,irmão do campeonissimo Carmen Basilio e membro de uma família de grandes lutadores de Syracuse sua cidade natal.
Juan meu amigo ,me ligou e combinou de assistirmos a luta de Miteff em meu apartamento. Traria alguns amigos,cervejas e uns petiscos. Eu aceitei na hora.Apreciava as lutas de box daquela época e gostava do estilo de lutar de Miteff. Achávamos todos que aquela luta poderia fazer Miteff subir mais uns dois ou três pontos no ranking.
No horário combinado a plateia começou a chegar ao apartamento da rua 76 com Broadway em Manhattan ,entusiasmada com aquela que poderia ser mais uma luta espetácular daquele argentino invicto que já começava a chamar a atenção dos empresários e grandes patrocinadores.
Juan se movimentava.Enfiava garrafas de cerveja no freezer,abria latinhas de petiscos,pacotes de batatas fritas,parecia que haveria um grande evento em meu modesto apartamento.
Umas dez pessoas se movimentando ansiosas. A tv ligada com o som no mais alto volume aguardava o apresentador que já começava a anunciar e apresentar o juiz e os lutadores.
Soa o gongo,os lutadores se cumprimentam e Mike desfere o primeiro soco ,um “upper”que pega Miteff desprevenido que vai a lona totalmente atordoado. Ainda lembro-me que caiu de bruços,olhou pra cima como se procurasse entender o que se passava ,enquanto o juiz fazia a contagem e determinava o knockout.
Naquela época não havia vídeo tape. Juan não presenciou o amigo “ beijar a lona”. Não acreditava no que estava vendo quando adentrou a sala que estava totalmente em silencio .O desaponto era enorme.
Naquele dia a carreira do argentino Alex Miteff começou a se modificar. Dai pra frente teve altos e baixos Interrompendo a sequência de grandes vitórias.
Em 1967 encerrou a carreira de boxeador.
Fez algumas pontas em filmes e uma participação maior em Requiém por um Lutador,filme que teve em seu elenco Anthony Quinn ,Rory Calhoun e Mickey Rooney e que contava a decadência de um lutador de boxe.
Bem diferente do nosso “Galinho da Casa Verde”. que com um cartel fantástico conquistou seu primeiro titulo mundial em 1960 e o último em 1974 se tornando um dos maiores “boxeurs”de todos os tempos.